Modelos atômicos

Durante muito tempo, a constituição da matéria gerou curiosidade no homem. Desde a Antiguidade, filósofos tentavam descobrir como a matéria é formada.

Dois filósofos gregos, Demócrito e Leucipo, sugeriram que toda a matéria era formada por pequenos corpos indivisíveis.

Chamaram estes corpos de átomo. Em grego, a significa não e tomos significa divisível. Então, átomo era a última partícula, que não podia ser dividida.


Demócrito, pai da atomística

Nos anos 500 e 1500 da era cristã, surgiram entre os árabes e europeus os alquimistas.

Seus trabalhos visavam obter o elixir da longa vida, para que o ser humano se tornasse imortal. Era a pedra filosofal, capaz de tornar qualquer metal em ouro.

 

No século XVI, surge a iatroquímica, uma doutrina médica que atribuía a causa química para tudo o que eu se passava no organismo.

Mais tarde, no século XVIII, nasceu a ideia de Química com os cientistas que estudaram as "Leis Ponderais", Lavoisier e Proust.

O que é modelo atômico?

Os modelos atômicos são teorias baseadas na experimentação feita por cientistas para explicar como é o átomo.

Os modelos não existem na natureza. São apenas explicações para mostrar o porquê de um fenômeno.

Muitos cientistas desenvolveram suas teorias. Com o passar dos tempos, os modelos foram evoluindo, até chegar ao modelo atual.

  

Como referenciar: "Modelos atômicos" em SóQ. Virtuous Tecnologia da Informação, 2008-2019. Consultado em 20/06/2019 às 04:07. Disponível na Internet em http://www.soq.com.br/conteudos/em/modelosatomicos/