Propriedades periódicas e aperiódicas (continuação)

Eletronegatividade

É a tendência que um átomo tem de atrair elétrons. É muito característico dos não metais.

Linus Pauling, através de experimentos, tentou quantificar esta tendência e criou uma escala de eletronegatividade. Essa escala existe em muitas tabelas periódicas.

A eletronegatividade aumenta conforme o raio atômico diminui. Quanto maior o raio atômico, menor será a atração do núcleo pelos elétrons mais afastados e, então, menor a eletronegatividade.

Na tabela periódica, os gases nobres não são considerados, já que não têm tendência a ganhar ou perder elétrons. Já estão estabilizados.

A eletronegatividade aumenta nas famílias de baixo para cima e, nos períodos, da esquerda para a direita.

O elemento mais eletronegativo é o flúor (F), com valor de eletronegatividade 3,98.

Eletropositividade

É a tendência que um átomo tem de perder elétrons. É muito característico dos metais. Pode ser também chamado de caráter metálico. É o inverso da eletronegatividade.

A eletropositividade aumenta conforme o raio atômico aumenta.

Quanto maior o raio atômico, menor será a atração do núcleo pelo elétron mais afastado, maior a facilidade do átomo em doar elétrons e, então, maior será a eletropositividade.

Os gases nobres também não são considerados, por conta da sua estabilidade.

A eletropositividade aumenta nas famílias de cima para baixo e, nos períodos, da direita para a esquerda.

O elemento mais eletropositivo é o frâncio (Fr), que possui eletronegatividade 0,70.

Tabela de eletronegatividade

Observe a tabela, lembrando que o menor valor é o mais eletropositivo.

Elementos

Eletronegatividade

F

3,98

O

3,44

Cl

3,16

N

3,04

Br

2,96

I

2,66

S

2,58

C

2,55

Metais nobres

2,54 a 2,28

H

2,20

P

2,19

Semimetais

2,04 a 1,18

Metais comuns

2,20 a 0,79

Fr

0,70

Eletroafinidade ou afinidade eletrônica

É a quantidade de energia liberada quando um átomo isolado no seu estado fundamental (fase gasosa) recebe 1é.

Um átomo isolado no seu estado fundamental pode receber 1é, transformando-se em um ânion. Isso pode levar ao átomo um estado de maior estabilidade e então ocorre a liberação de energia.

A afinidade eletrônica aumenta conforme o raio atômico diminui. É importante para os não metais. Os elementos mais eletroafins são os halogênios e o oxigênio.

A eletroafinidade, na tabela periódica, aumenta nas famílias de baixo para cima e nos períodos da esquerda para a direita.

Seus valores são dados em Kj/mol e são muito difíceis de serem medidos.

Calor específico

É uma propriedade aperiódica. O calor específico do elemento no estado sólido sempre diminui com o aumento do número atômico.

O calor específico é a quantidade de calor necessária para elevar a 1°C a temperatura de 1g do elemento.

Como referenciar: "Eletronegatividade, Eletropositividade, Eletroafinidade, Calor específico" em SóQ. Virtuous Tecnologia da Informação, 2008-2020. Consultado em 11/08/2020 às 18:34. Disponível na Internet em http://www.soq.com.br/conteudos/em/tabelaperiodica/p5.php

Divirta-se com o LOBIS HOMEM

Produtos de quando CORONA era motivo de alegria

O sonho de ser cantor